Justificativa

   

      Sabemos que um dos maiores problemas da educação deste país se constitui nas dificuldades encontradas pelas crianças ao longo do processo de aquisição da linguagem escrita, gerando altos índices de analfabetismo e evasão escolar. Problema intenso nas escolas públicas, que mesmo amenizado pelas favoráveis condições econômicas e culturais, também aparece nas escolas particulares.

       Desta feita, como profissionais da área educacional e com vasta experiência e estudo teórico em Educação Infantil, Ensino Fundamental e principalmente e alfabetização e Letramento, observamos que existe um número significativo de crianças que apresentam dificuldades no processo de aquisição da linguagem escrita e sintomas de desinteresse pela leitura e pela produção escrita, gerando conflitos entre a família e a escola ao longo da vida escolar do aprendiz. Algumas crianças apresentam ritmo diferenciado, do estabelecido pela instituição escolar, ao longo do processo de aquisição da linguagem e não conseguem acompanhar o grupo escolar no qual estão inseridas, não atingindo os objetivos mínimos propostos pela escola. E, neste caso, necessitam de um acompanhamento diferenciado. Diversas questões podem ser fatores que propiciam esta situação, dentre eles: emocionais, afetivos, sociais, fisicos, cognitivos, dentre outros. Assim sendo, caberá à equipe de profissionais, interligadas ao nosso Centro de Estudos e Pesquisas da Linguagem Escrita, realizar um pscicodiagnóstico do aprendiz e dimensionando as questões pedagógicas, pscicológicas, neurológicas, familiares e individuais, a partir do delineamento traçado em um estudo de caso, planejar ações que favoreçam o seu desenvolvimento, proporcionando a estas crianças a possibilidade de conquistar avanços significativos na leitura e produção escrita, favorecendo a retomada do seu rendimento escolar.

        A nossa proposta pedagógica está estruturada na aprendizagem da leitura e da escrita contextualizada e significativa, pois acreditamos na perspectiva de Vigostki na qual pensamento e linguagem se estruturam como constituintes do processo de aquisição da linguagem e busca pelo sentido e significado.

       O significado de uma palavra representa um amálgama tão estreito do pensamento e da linguagem, que fica difícil dizer se se trata de um fenômeno da fala ou de um fenômeno do pensamento. Uma palavra sem significado é um som vazio; o significado, portanto, é um critério da “palavra”, seu componente indispensável. (Vigotski, pag. 150, 2008)

Alessandra Leão